MERCER

RAY MERCER

1961 –
1961 –
Um queixo de aço e sempre disposto a partir para a luta franca. Ray Mercer fez a alegria dos fãs do boxe com suas exibições.

Categoria de Peso

Títulos mais importantes

WBO
Antonio Carlos Novais
Por Antonio Carlos Novais
Antonio Carlos Novais
Por Antonio Carlos Novais

PERFIL

Mercer nasceu em Jacksonville, Flórida, em 4 de abril de 1961. Seu pai era militar e serviu no Vietnã.

“Tivemos uma boa vida. Vivemos a vida militar”, disse Mercer. “Viajamos para o exterior, morávamos na Alemanha quando eu tinha 15 anos. Cursei o ensino médio lá.

“Eu amava brincar na floresta, sempre nos sentíamos seguros. A única coisa ruim é que a cada três anos você está indo para outro lugar, então você acaba não cultivando muitas amizades.”

Mercer sabia que queria seguir os passos de seu pai e se juntou ao serviço militar aos 20 anos. Nesse ponto, o boxe nem passava pela sua cabeça.

“A primeira vez que eu coloquei um par de luvas, eu tinha 23 anos e fui convidado para ser um sparring na Alemanha”, lembrou Mercer. “Foi quando eu realmente gostei da coisa. Pedi ao treinador para me mostrar como me defender sem ser espancado todos os dias. Ele me ensinou bem e em cerca de dois meses eu já era capaz de lutar”.

Mercer passou a ter uma carreira amadora muito bem-sucedida e atingiu o auge. Depois de derrotar o futuro campeão mundial dos Pesados Michael Bentt nos testes olímpicos, ele representou seu país nas Olimpíadas de 1988 em Seul.

“Foi a melhor coisa que me aconteceu para dizer a verdade”, diz Mercer humildemente. “Eu não permitiria ser derrotado, trabalhei muito duro. Eu tinha 28 anos na equipe olímpica, então sabia o quanto era importante treinar e sabia que só teria essa chance. Eu era mais velho que todos os outros caras. Acho que levei um pouco mais a sério do que eles.

Representar meu país foi tão emocionante, eu sempre sonhei com isso.”

Mercer nocauteou todos os oponentes a caminho da medalha de ouro. Ele havia acumulado um recorde amador de 86-6 e deixou a divisão de infantaria para embarcar em uma carreira profissional em 1989.

O “Impiedoso” (um trocadilho com seu sobrenome, do inglês Merciless = Impiedoso) ganhou 15 lutas em 18 meses. Realizou uma luta sensacional com Bert Cooper conquistando o cinturão da NABF.

Credenciado para disputar o título da WBO, Mercer enfrentou o invicto medalhista olímpico de 1984, Francesco Damiani, em janeiro de 1991. Mercer perdia a luta por pontos quando conseguiu nocautear o campeão no nono assalto, e assim se sagrou o primeiro norte americano a conquistar o cinturão da recém-criada entidade.

No verão de 1991, Mercer estava programado para defender seu título contra Tommy Morrison, mas o desafiante se machucou e Riddick Bowe entrou em cena. Essa luta não ocorreu porque Mercer machucou o tornozelo e a luta de Morrison foi remarcada para outubro. Depois de aguentar um duro de castigo de  Morrison nos três primeiros rounds, Mercer venceu a luta com um nocaute brutal no quinto assalto.

Mercer aplicou um nocaute brutal em Morrison.

Mercer, em seguida, decidiu desocupar o cinturão WBO para enfrentar o lendário ex-campeão dos pesos pesados ​​Larry Holmes em vez do desafiante número 1, Michael Moorer. Essa foi uma má escolha. Holmes, agora com 42 anos, lutou brilhantemente e infligiu a primeira derrota da carreira de Mercer.

Buscando se reposicionar, Mercer se preparava para uma chance de poder disputar o cinturão contra Riddick Bowe, mas foi apanhado em um escândalo de suborno; supostamente pedindo a Jessie Ferguson para entregar a luta em que perdia por pontos. Mais tarde ele foi absolvido, mas o incidente prejudicou a reputação de Mercer. Ele restaurou alguma credibilidade quando derrotou Ferguson em uma revanche em novembro de 1993.

Em maio de 1995, Mercer enfrentou Evander Holyfield, que estava voltava de uma breve aposentadoria. Ele se apresentou bem, mas não conseguiu igualar as habilidades do ex-campeão e perdeu uma decisão unânime de 10 rounds, inclusive sofrendo seu primeiro knockdown na carreira.

Um ano depois, Mercer enfrentou outro grande combate contra Lennox Lewis. Os dois se envolveram em um encontro brutal de ida e volta, mas foi Lewis quem prevaleceu por decisão majoritária de 10 rounds, para o desgosto de muitos fãs de luta no Madison Square Garden.

“Eu senti como se eu ganhasse essas duas lutas”, disse Mercer. “Com Lennox Lewis, sei que ganhei . De fato, eu o vi em três ocasiões diferentes e ele me disse que eu o venci . Eu disse a ele para me enviar o resto do meu dinheiro. Nós rimos bastante sobre isso.

. Eu disse a ele para me enviar o resto do meu dinheiro. Nós rimos bastante sobre isso.

Evander Holyfield, eu sei que ganhei sete rounds em 10. Mas o knockdown que sofri acabou pesando para a decisão a favor dele.”

Mercer lutou com moderação ao longo dos seis anos seguintes, vencendo todos os sete combates até ter a chance de enfrentar Wladimir Klitschko pelo seu antigo título WBO. Porém, sendo maior e mais novo, Wladimir se impôs no combate e se tornou o primeiro lutador a nocauteá-lo.

Mercer continuou a lutar e até participou de algumas batalhas de kickboxing e MMA com sucesso. Ele se aposentou em 2008 com um recorde de (36-7-1, 26 nocautes).

Mercer, mora em Fayetteville, na Carolina do Norte, e é casado e tem quatro filhos e um neto.

ANÁLISE TÉCNICA

GOLPES COM A ESQUERDA

JAB

Bom uso do duplo jab. Costumava fazer bastante a sequência de duplo jab seguido de direto de direita.

Seu jab tinha potência também, como pode ser visto em sua luta contra Jerry Halstead onde ele aplica um knockdown ao final do segundo round.

Poderia circular em volta do adversário desferindo jabs  como fez contra  Mark Wills (Round 4) e contra Jesse Fergunson  (segunda luta nos rounds 6 e 9) ou também andar para trás jabeando. ( Jesse Fergunson II Round 8).

CRUZADOS DE ESQUERDA

Seus cruzados de esquerda eram mais usados em combinações na curta distância.

GOLPES COM A MÃO DIREITA

Sua mão direita poderia lançar um direto sem aviso. (Mark Wills round 1)

Uso da mão direita na curta distância, com ganchos no corpo e uppercut no queixo.

Direto de direita como contra-ataque (Mark Wills round 1 e Ferguson II Round 9).

LUTA NA CURTA DISTÂNCIA

Lutar na curta distância também não era um problema para Mercer. Sua luta contra Bert Cooper basicamente se desenrolou assim ao longo de 10 rounds. Onde ele mostra que seus socos na curta distância também tem muita potência. Principalmente os cruzados de direita.

GRANDE CAPACIDADE DE ABSORÇÃO DE GOLPES

Mercer tinha um dos queixos mais resistentes da categoria. Seu poder de absorção de golpes é realmente absurdo. Veja a luta contra Tommy Morrison e perceba que no logo no primeiro round ele recebe uma sequência de golpes duríssimos e nem sequer balança. Em compensação, essa virtude também se tornava um ponto fraco: talvez por ter essa capacidade anormal de absorver as pancadas, Mercer era um pouco displicente com sua guarda, muitas vezes ele era um alvo fácil de ser atingido.

 

 

 

Gostou? Compartilhe com os amigos!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp

Livros disponíveis na Amazon

kindle_unlimited_logo
Rolar para cima

Utilizamos cookies para lhe assegurar uma melhor experiência em nosso site. Ao continuar, você declara aceitar a Política de Privacidade e os Termos de Uso.